Visitantes conhecem as sedes das maiores empresas de tecnologia do mundo; Google e Twitter estão no roteiro.

Fazer uma visita às sedes de Google, Twitter, Yelp e Airbnb, assistir a palestras de profissionais que trabalham nas maiores empresas de tecnologia do mundo e ainda passar dez dias morando em uma mansão em pleno Vale do Silício, na Califórnia (EUA). Essa é a viagem dos sonhos para qualquer nerd, empreendedor tech ou ambos, e 25 brasileiros partirão rumo a ela nesta sexta-feira. Até 9 de novembro o grupo fará uma imersão na “Meca” das startups.

Esta será a segunda edição da TEMPLO Journey, excursão organizada pelo espaço carioca de coworking (algo como uma “república” que reúne criadores de diferentes áreas) TEMPLO, com sedes em Botafogo e na Gávea. A primeira viagem foi em abril, com um grupo que contava com jovens empreendedores de 18 e 19 anos a profissionais gabaritados do mercado corporativo. Desta vez, além das visitas à Universidade de Stanford e a quase 20 empresas, haverá palestras com investidores locais na casa onde o grupo ficará hospedado em Clarendon Heights, São Francisco. A mansão servirá de QG criativo, com reuniões diárias para discutir o conteúdo do dia. Mas a imersão não sai barata. O pacote, que inclui hospedagem, visitas, cursos, café da manhã e transporte, custa US$ 3.800 (cerca de R$ 9.600), fora a passagem.
— A ideia não é fazer um safári nas empresas, mas se conectar com pessoas criativas que trabalham nelas e com o ecossistema local de maneira significativa. Queremos levar o pessoal para conhecer o Vale por dentro — explica Herman Bessler, cofundador e CEO do TEMPLO.

Papo durante jogo de beisebol

O empresário acompanhou o grupo na primeira viagem e viveu momentos inesquecíveis. Entre eles, destaca um bate-papo com o gerente de programas do Google, Martin Omander, e um convite inusitado de Tom Kelley, fundador da IDEO (uma das mais prestigiadas empresas de design e desenvolvimento de produtos do mundo) e parceiro de Steve Jobs no início da Apple: assistir ao jogo do time de beisebol San Francisco Giants num bar, tomando cerveja.

— Ele só tinha um dia em São Francisco antes de viajar, e meu sócio e eu insistimos muito para encontrá-lo. Para nossa surpresa, sua secretária nos ligou dizendo que ele topava, mas que teria que ser durante o jogo — lembra Bessler, que até hoje mal consegue acreditar na sua sorte. — Aceitamos, é claro. Mas, antes, tivemos que estudar as regras do beisebol. Não sabíamos nada! A conversa foi ótima, e acabamos falando muito sobre o mercado carioca de empreendimentos em tecnologia.
Bessler conta que aprendeu um bocado durante a excursão e que alguns ensinamentos mudaram sua forma de ver o mundo dos negócios.
— Aqui, temos a percepção de que é preciso muita estrutura, dinheiro e contatos para fazer um bom negócio. Lá, eles entendem a importância de começar pequeno e, muitas vezes, falhar. Errar é o processo natural para atingir o sucesso — ensina o CEO do TEMPLO

Para alguns outros participantes, o projeto também foi um divisor de águas. Hoje sócios, Rafael Tenenbaum e o designer Marcel Serrano se conheceram durante a viagem e, no mês passado, fundaram a Mesclado, uma empresa de confecção de camisetas feitas a partir de obras numeradas de artistas plásticos. Já a estudante Graziella Fulchiron, de 26 anos, decidiu largar a faculdade de hotelaria para mergulhar de cabeça no mundo do empreendedorismo, assim que voltou da Califórnia.
— Foi o empurrão que faltava para eu me arriscar em uma carreira nova. Eu tinha ideia de que o mundo dos negócios era “quadrado” demais para mim. Lá, descobri que pode ser criativo e apaixonante — observa Graziella, que trabalha, hoje, na startup de turismo Mais Asas.
Com o sucesso das primeiras duas expedições, a intenção é expandir o projeto e, no ano que vem, além das duas excursões ao Vale do Silício, fazer ainda uma ao Disney Institute de Design de Serviços,na Flórida, aos ambientes de negócios de Nova York e Boston e à indústria de moda também de Nova York.